fbpx

Você sabia que é possível dar baixa de empresa com débitos?

Há alguns anos, a burocracia para se baixar uma empresa era tão grande, que era mais fácil ficar com ela inativa e pagar os tributos mensais e anuais. Tem muito empresário ainda fazendo isso: jogando o seu dinheiro, duro de se ganhar, pela janela. Se você é um deles, continue conosco!

Você sabia que, segundo a Agência Brasil, o número de empresas inativas em 2017 era de 3,7 milhões?

A burocracia era tão grande, que obrigava os empresários a apresentarem intermináveis documentos e a enfrentarem uma verdadeira maratona para colocar um ponto final numa empresa que só existia no papel.

E se a empresa tivesse dívida? Aí, é que você não conseguia nada mesmo! O processo de baixa se arrastava por meses e até anos.

E, quando se acertava o pagamento dos tributos, outros venciam e o empresário se via num verdadeiro looping, acorrentado à empresa pelo resto da vida. E o pior: pagando tributos!

Com a Lei 147/14, as coisas ficaram mais fáceis.

As empresas, mesmo com dívidas de tributos, podem ser baixadas.

Com o cadastro sincronizado, não é mais necessário ir de órgão em órgão pagar o que está em aberto. As empresas, também, foram dispensadas de apresentar nas juntas comerciais certidões negativas de débitos tributários, previdenciários e trabalhistas para efetuar o fechamento. Com isso, elas passaram a pedir a baixa de seus registros e inscrições imediatamente após o encerramento das suas operações.

Mas, o que acontece com os débitos?

Os débitos, se tiverem, são transferidos para o CPF do dono ou dos sócios das empresas.A pessoa física passa a ser responsável pelos débitos junto à Receita Federal que, em caso de inadimplência, pode acionar a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional ou as procuradorias de cada órgão, para recebê-los. E é importante saber que todos os tributos podem ser parcelados e não prescrevem.

O problema são os débitos estaduais

Se você é sócio de uma sociedade empresarial, registrada na Junta Comercial, os tributos estaduais devem ser pagos ou parcelados, antes da baixa. Essa é uma exigência da Junta Comercial de Minas Gerais e de alguns outros estados, que obrigam o pagamento ou o parcelamento dos tributos antes do deferimento da baixa, o que é arbitrário.

No caso, você tem duas opções: parcelar, efetuar os pagamentos e baixar a sua empresa, ou entrar na Justiça, o que onera bastante o seu processo, já que terá que contratar um advogado, além de ser demorado. E como não existe prescrição de tributos, isso vai lhe assombrar pelo resto da vida.

 

 

 

 

 

 

 

Por que baixar a sua empresa é a melhor alternativa?

Você pode abrir outra empresa e continuar atuando no mercado. 

Você parcelará as suas dívidas, que não crescerão.

Você deixará de pagar tributos e preocupar-se com uma empresa inativa

A melhor forma de fazer isso é por meio de um bom escritório de contabilidade, que poderá assessorá-lo, analisando a sua empresa e indicando o melhor caminho. Um contador dará a você todas as opções para que baixe a sua empresa e pague as suas dívidas com tranquilidade.

Quer baixar a sua empresa?

Entre em contato com a gente.

A Contabilidade Bessa tem os melhores profissionais para mostrar para você a melhor solução: sem estresse, com baixo custo e rapidez.